16 de out de 2010

Literatura pode ser diferencial no vestibular

Restando menos de um mês para o vestibular da Universidade Federal do Paraná, os vestibulandos aproveitam esta reta final para revisar todo o conteúdo estudado durante o ano. Um dos quesitos do processo seletivo que mais preocupa os estudantes é a Literatura, que abrange dez obras e pode ser o diferencial na soma dos pontos do concurso, em busca de uma vaga. Para dar uma força aos candidatos, professores do Colégio Bom Jesus e da FAE Centro Universitário deram dicas sobre seis livros, considerados os mais complexos da lista para o vestibular, durante a 10ª Feira de Gestão, que aconteceu entre os dias 5 e 7 de outubro e reuniu mais de 5 mil estudantes.
Os primeiros livros abordados foram Dom Casmurro, de Machado de Assis e Romanceiro da Inconfidência, de Cecília Meireles. O professor de Literatura Brasileira e Língua Estrangeira, Carlos Machado Júnior, traçou um panorama com características, referências e temas trabalhados em Dom Casmurro, lembrando que a narração é feita em primeira pessoa e é fortemente ligada ao comportamento humano, como ciúmes, caos psicológico, traição, confusões mentais, entre outras.  Já em Romanceiro da Inconfidência, o professor explicou que a obra apresenta três facetas: poética, dramática e narrativa. Ela fala sobre um momento histórico do final do século XVIII que aconteceu em Minas Gerais: a Inconfidência Mineira. As outras características do livro de Cecília Meireles que devem estar na memória dos vestibulandos são:  espiritualidade, misticismo, musicalidade, delicadeza, sensorialismo, neosimbolismo, assuntos sociais e históricos e a voz feminina que a autora insere no texto.
No segundo dia do evento, foi a vez do professor de Ensino Médio do Colégio Bom Jesus, João Amálio Ribas, falar sobre os livros São Bernardo, de Graciliano Ramos e Muitas Vozes, de Ferreira Gullar. Ribas utilizou músicas para auxiliar na memorização dos aspectos mais importantes das duas obras. Em São Bernardo, ele destacou a fusão entre o social e o psicológico - o que cria uma obra de profunda análise das relações humanas. A história é narrada em primeira pessoa, em linguagem seca e reduzida ao essencial. No livro Muitas Vozes, o professor definiu, como características principais, a sonoridade, erotismo, auto-reflexão, maturidade, metalirismo e a influência de muitos outros poetas. Felicidade Clandestina, de Clarice Lispector e Anjo Negro, de Nelson Rodrigues, foram os livros que encerraram a programação especial para os vestibulandos. O professor de Literatura Marcelo Brum Lemos comandou a palestra e falou primeiramente sobre a obra de Lispector, alertando os estudantes para não esquecerem que Felicidade Clandestina traz reflexões existenciais e metafísicas como características principais.
Por último, Lemos tratou do livro de Nelson Rodrigues, lembrando o contexto social da época retratada na obra, onde a ‘superioridade das raças’ e o início das lutas feministas marcaram o período. 
 

0 Carinho de amigos(as):

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

DesinArtes, minha loja VIRTUAL! Confira!