29 de jan de 2011

Para desfilar na Marquês de Sapucaí, é preciso se apressar

O pirata bucaneiro, da Portela, sai por 750 reais; o Indiana Jones da Tijuca está esgotada, assim como "Banana is my business", do Salgueiro: corrida contra o relógio (Divulgação/Montagem)
A pouco mais de um mês do Carnaval, o mercado de fantasias está em ebulição no Rio de Janeiro. Quem ainda não se mexeu para realizar o sonho de pisar na Marquês de Sapucaí e participar de uma das maiores festas do mundo deve se apressar. No Grupo Especial, já se esgotaram as fantasias de muitas alas.

Um dos motivos é que as escolas reduziram o número das chamadas alas comerciais – aquelas em que qualquer pessoa pode entrar, desde que compre a fantasia – para evitar que o excesso de sambistas de ocasião atrapalhe o desfile de quem se dedica ao carnaval o ano inteiro.


A Vila Isabel, que nos últimos anos sempre está entre as favoritas, tomou uma decisão radical. A escola do bairro de Noel Rosa vai arcar com o custo de todas as 3.800 fantasias. Em contrapartida, exige que todos os que vão desfilar participem dos ensaios técnicos da agremiação, reduzindo assim as chances de erro.


As mais disputadas -
As fantasias mais cobiçadas são as das escolas que, ano após ano, se revezam nas primeiras colocações, como Unidos da Tijuca, Beija-Flor, Grande Rio, Salgueiro e Mangueira. Desfilar em uma dessas agremiações significa grande chance de retornar à Avenida no Sábado das Campeãs. Trata-se, praticamente, de um bilhete premiado.

Mas o pacote "dois em um" tem seu preço. Desfilar pela atual campeã Unidos da Tijuca - e, de quebra, vestir uma fantasia de Paulo Barros, o carnavalesco do momento - sai entre 700 reais e mil reais. Na Beija-Flor de Nilópolis, que nos últimos oitos anos faturou cinco títulos, os figurinos custam em torno de 900 reais. Este ano, um dos trunfos da escola é o enredo sobre o cantor Roberto Carlos, que já confirmou presença no desfile.


Procura
- Nos meses que antecedem o carnaval, um personagem pouco conhecido do grande público é alçado à condição de figura mais importante da festa: o presidente de ala. Responsável pela produção em escala de um determinado figurino, ele pega o protótipo criado pelo carnavalesco e encomenda sua confecção a um ateliê de sua confiança. Há mais de 20 anos na função, o presidente da Ala Ricca, da Tijuca, Ricardo Wandeveld, diz que a procura este ano está muito acima da média.

"O telefone não para. Principalmente agora que as escolas diminuíram a quantidade de fantasias. Acho que a tendência é que as alas comerciais praticamente acabem. Algumas escolas já não aceitam turistas estrangeiros no desfile. É muito risco. Não se pode comprometer um carnaval de 10 milhões de reais, como o da Tijuca, perdendo pontos em harmonia", avalia.


Enquanto isso não acontece, Wandeveld aproveita. Ele criou o site (www.armazemdafolia.com.br) no qual reúne as fantasias que produz para diferentes escolas, tanto do Grupo Especial como do Acesso. Como os foliões são proibidos de desfilar com máquinas fotográficas e celulares, ele ainda se encarrega de tirar as fotos dos clientes na Avenida. Este ano, Wandeveld ficou responsável pelas fantasias de Indiana Jones do desfile da Tijuca. As peças, que começaram a ser vendidas por 500 reais e chegaram a 750 reais, estão esgotadas desde o início de novembro.


Descontos
- A Mangueira também não pode reclamar. Pelo menos cinco das 18 alas colocadas à venda já esgotaram. Uma das fantasias ainda disponíveis é "A Flor e o Espinho", que sai a 700 reais, em duas parcelas. Mas o presidente de ala Gilberto avisa que esse é o valor individual. Em caso de grupos interessados em comprar várias fantasias, existe desconto.

Os presidentes de ala dão uma dica para os foliões de primeira viagem: é importante ficar de olho no prazo de entrega das fantasias. O ideal é que elas estejam disponíveis com, pelo menos, uma semana de antecedência - e, mesmo assim, sabendo que provavelmente o prazo não será cumprido.


Dicas -
Para quem quer brincar o carnaval sem ver as economias irem pelo ralo, a recomendação é procurar fantasias de escolas recém-chegadas ao Grupo Especial - como União da Ilha e São Clemente - ou, até mesmo, do Grupo de Acesso. "Para quem gosta de brincar, o Acesso, que é um dos melhores desfiles. É alegre e não tem tanto compromisso como as grandes. A brincadeira corre solta. Poucas pessoas de fora do Rio sabem disso. E a maioria das vendas do Acesso acaba para os cariocas mesmo", explica Wandeveld, presidente de ala.

Na União da Ilha, as fantasias custam entre 500 e 700 reais. Já na São Clemente, o valor gira em torno de 400 reais. No Grupo de Acesso, é possível desfilar por apenas 220 reais na Império da Tijuca.


A maioria das escolas disponibiliza informações sobre venda de fantasias em seus sites na internet. O interessado deve ligar diretamente para o presidente de ala. Confira os sites de algumas agremiações do Rio:


Grupo Especial


Portela
: http://www.gresportela.com.br/

Unidos da Tijuca:
http://www.unidosdatijuca.com.br/

Mangueira
: http://www.mangueira.com.br/

Beija-Flor:
http://www.beija-flor.com.br

União da Ilha:
http://www.gresuniaodailha.com.br

Salgueiro:
http://orionocinema.salgueiro.com.br

Grande Rio
: http://www.academicosdogranderio.com.br

Porto da Pedra
: http://www.unidosdoportodapedra.com.br

São Clemente:
http://www.saoclemente.com.br

Mocidade:
http://www.mocidade.com.br

Imperatriz:
http://www.imperatrizleopoldinense.com.br.

Grupo de Acesso

Viradouro:
http://www.gresuviradouro.com.br

Império Serrano:
http://www.imperioserrano.com

Império da Tijuca:
http://www.greseimperiodatijuca.com.br/

0 Carinho de amigos(as):

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

DesinArtes, minha loja VIRTUAL! Confira!